Search
segunda-feira 21 setembro 2020
  • :
  • :

Sobre a UNIVERSIDADAE – Ligia Dalchiavon

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, área interna

SOBRE A UNIVERSIDADE…

Em um período em que se bate e critica tanto a Universidade pública e o acesso a ela resolvi escrever sobre….

Hoje eu poderia ter sido enfermeira ou dentista se quando passei no vestibular da UPF meus pais tivessem condições de pagar a mensalidade. Não tinham. Passei no vestibular e não pude cursar.

Ou se existisse ProUni. Não existia!

Existia o crédito educativo, mas a dívida era imensa…

Continuei fazendo vestibular para Universidade pública. Na época não havia Enem, nem o sistema de universalidade que temos. Talvez se existisse eu poderia ter entrando antes, ou não…

Pois bem, sai de Sarandi para cursar a FURG, quase 600km de distância de casa.

Nunca presenciei balbúrdia, nem orgias, nem Vi gente pelada, nem consumi drogas.

Se existia, talvez. Tem consumo de drogas até no quartel e no presídio, ali na esquina tb…

Fiz 2 graduações, mestrado e passei em concurso público para docente na mesma Universidade que me formou.

Dou aulas em um CAMPUS, que este ano completa 10 anos, devido a expansão Universitária em um cidade do tamanho de Sarandi.

Inclusive a minha FURG já formou muitos amigos com cursos ministrados em Sarandi, graças ao projeto de acesso universitário a todos.

Fiz doutorado também na Universidade pública…

Um dos momentos mais marcantes na minha curta vida docente na Universidade pública, que este ano completa 12 anos, foi em um início de disciplina quando me apresentei e falei, em um dado momento, que meu Pai é caminhoneiro. Um aluno no meio da sala exclama “seu pai é caminhoneiro! O meu também”, com espanto e admiração. Então, filho de caminhoneiro pode ser professor universitário!

Nesse momento, estar ali naquela classe fez muito mais sentido pra mim e pra meu aluno.
Filho de caminhoneiro, lavrador, doméstica, pequeno empresário… também pode fazer Universidade. Também, pode ser doutor!!!

UNIVERSIDADE não é local pra gênios somente, nem pra privilegiados socialmente. É pra todos!

Triste fico em ler determinados comentários de amigos que vindo da mesma origem que Eu, também chegaram a Universidade pelas cotas, pelo ProUni, pela universalização do direito de estudar; mas tecem críticas mais por questão partidária que pela causa da educação.

Mais triste é ver gente que foi beneficiado pelo projeto de universalização da Universidade criticar a UNIVERSIDADE.

Não me importa a sigla, a politicagem; me importa o direito da cidadão em ser respeitado e atendido.

Bons e Ruins profissionais, alunos e cidadãos existem em cada espaço da vida em comunidade.

Agora, impedir que qualquer cidadão chegue ao ensino superior é uma mediocridade e uma arrogância tamanha. Principalmente, quando vem da boca de que quem foi cerceado do acesso universitário há anos e corre o risco de não mais ter este direito!

Ps.: A foto é o registro de uma das maiores balbúrdias que já presenciei na Universidade pública, a integração de alunos e professores de 5 cursos em alegorias fantasiosas das mais diversas inspirações culturais da nossa sociedade atual.

Foto do perfil de Ligia Dalchiavon, A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Ligia Dalchiavon, pessoas sorrindo, close-up

Por Ligia Dalchiavon




error: Content is protected !!